Para bolsonaristas, benefício a Queiroz "cacifa" Noronha como candidato ao STF

Para bolsonaristas, benefício a Queiroz
Ministro do STJ agradou Planalto em decisões como a que mandou para prisão domiciliar Fabrício Queiroz e Marcia Aguiar. Bolsonaro fará duas indicações ao Supremo até 2022. O ministro do STJ, João Otávio de Noronha, em foto de agosto de 2019

G.Dettmar/agência CNJ

Integrantes do governo ouvidos pelo blog nesta sexta-feira (10) avaliam que as decisões do ministro João Otávio de Noronha, do STJ, na linha do que esperava o Palácio do Planalto "cacifam o ministro" como um dos candidatos ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Noronha é visto como um ministro que agrada ao Planalto em diferentes temas, como a decisão que desobrigou Bolsonaro de exibir exames de saúde, em maio, e a decisão de ontem, que mandou para prisão domiciliar Fabricio Queiroz e Marcia Aguiar, casal que, pela proximidade com a família Bolsonaro, preocupa o governo.

Bolsonaro terá direito a fazer duas indicações ao STF até 2022, com a aposentadoria dos ministros Celso de Mello (2020) e Marco Aurelio Mello (2021).

Para a primeira vaga, aliados do presidente acreditam que o mais cotado é André Mendonça, ministro da Justiça.

Mas a segunda vaga ainda provoca dúvidas sobre um favorito. Por isso, acreditam, Noronha pode disputar a preferência, por exemplo, com o ministro Jorge Oliveira (Secretaria-Geral).

Nos bastidores do Judiciário, a decisão de Noronha sobre a prisão domiciliar de Queiroz e a mulher dele foi vista como "inusual". E integrantes do STJ acreditam que a 5ª Turma da corte poderá reverter a decisão, mas ainda não há data para isso ocorrer.

CORES DEMO
PERSONALIZADA

Crie seu degradê:


OUTROS TEMAS