Sa√ļde

Insônia aumenta em 52% a chance de ter dor lombar crônica, diz estudo

Por Administrador

21/11/2020 às 12:23:29 - Atualizado h√°

Um estudo publicado, recentemente, no periódicoNeuropsychiatrie, comprovou que os distúrbios do sono aumentam em 52% o risco de desenvolver dor lombar crônica. Os prejuízos da m√° qualidade do sono para a saúde s√£o bem conhecidos.

A novidade é que essa meta-an√°lise foi focada na rela√ß√£o da m√° qualidade do sono com a dor lombar crônica. Os pesquisadores cruzaram dados de 21 estudos para determinar os efeitos da insônia na dor lombar.

Culpa pode ser da dopamina
Para o grupo envolvido na pesquisa, uma das hipóteses é que a insônia e a dor lombar podem ser causadas por um terceiro fator: uma anormalidade na produ√ß√£o da dopamina. Embora a dopamina seja um neurotransmissor essencial para as emo√ß√Ķes, aprendizado, humor, aten√ß√£o, prazer e sistema motor, um estudo realizado pela Universidade do Texas mostrou que a dopamina pode ser respons√°vel pela manuten√ß√£o da dor crônica.

Resumidamente, as células nervosas de quem ter dor crônica enviam para o cérebro, de forma contínua, sinais de dor mesmo na ausência de qualquer les√£o. Os altos níveis de dopamina também podem prejudicar o sono porque trata-se de um neurotransmissor estimulante.

Opini√£o da especialista
ParaWalkíria Brunetti, fisioterapeuta especialista em Pilates e RPG, os achados apontam que as dores crônicas s√£o multifatoriais. “Quando um paciente chega com uma queixa de dor na coluna, sem outra causa como uma fratura ou hérnia de disco, por exemplo, é preciso analisar todo o estilo de vida e os h√°bitos dessa pessoa, incluindo a qualidade do sono, nível de atividade física etc.”.

“Além disso, é importante entender se h√° comorbidades, principalmente transtornos mentais, como a depress√£o. O risco de desenvolver dor lombar crônica em pessoas com diagnóstico de depress√£o é de 59%, segundo essa meta-an√°lise. Portanto, uma dor crônica pode ser resultado da soma de v√°rios problemas de saúde, incluindo distúrbios do sono”, comenta Walkíria.

Mulheres s√£o mais afetadas
Outro achado desse estudo foi que a dor lombar crônica é mais prevalente nas mulheres, nas pessoas com menor nível de atividade física e naquelas que dormem menos de sete horas por dia.

Pilates pode melhorar sono, dor e depress√£o
Os benefícios do Pilates s√£o bem conhecidos. Ao longo dos anos, estudos foram feitos para avaliar os efeitos do Pilates na saúde de uma forma mais ampla. Uma dessas pesquisas apontou que o método é eficaz para controlar a dor crônica.

Outra meta-an√°lise mostrou que o Pilates pode reduzir em até 80% os sintomas depressivos. Por fim, um estudo comprovou que a pr√°tica ajuda a melhorar a qualidade do sono e sua dura√ß√£o em pessoas de meia idade, fase em que a insônia costuma ser mais intensa.

“A dor crônica demanda um tratamento multidisciplinar. O paciente precisa adotar h√°bitos saud√°veis e isso inclui praticar alguma atividade física. Porém, como a dor pode ser uma barreira para certos esportes, o Pilates Studio, aquele feito em aparelhos, pode ser uma ótima op√ß√£o, pois praticamente n√£o possui contraindica√ß√Ķes”, finaliza Walkíria.

Fonte: Banda B
Comunicar erro
Prime News

© 2020 Prime News - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Prime News
CORES DEMO
PERSONALIZADA

Acesse a administra√ß√£o do portal e veja todas as possibilidades e op√ß√Ķes de personaliza√ß√£o de cores, blocos, widgets e v√°rios outras possibilidades. Clique aqui para ir ao painel.

OUTROS TEMAS