Política Pandemia

Denúncias contra Prevent Senior foram manipuladas, diz diretor na CPI

Por Administrador

22/09/2021 às 17:38:29 - Atualizado h√°

Comiss√£o Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva do diretor-executivo da operadora de saúde Prevent Senior. Pedro Fran√ßa/Agência Senado

Protocolos

Apesar de confirmar que o Ministério da Saúde anexou dentro de suas planilhas protocolos de “tratamento precoce" usados pela Prevent Senior, Pedro Batista Júnior negou contato com a pasta. “N√£o tivemos qualquer contato para desenvolvimento de qualquer protocolo junto ao Ministério da Saúde”, garantiu.

Apesar de ter optado por responder às perguntas dos senadores, Pedro Benedito Batista Júnior est√° amparado por um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O instrumento garante ao médico o direito constitucional de permanecer em silêncio em questionamentos que possam incrimin√°-lo.

Medicação milagrosa

Sobre afirma√ß√Ķes falsas de que a cloroquina garantiria “100% de cura” contra a covid-19, o diretor executivo afirmou que “n√£o existe qualquer medica√ß√£o milagrosa”. Apesar disso, ele defendeu a autonomia dos médicos para prescrever “a melhor medida” para cada paciente. “O teste sendo realizado com mais efic√°cia, o isolamento do paciente e a utiliza√ß√£o de tudo o que hoje é sabido podem, sim, amenizar a evolu√ß√£o da doen√ßa. A minha observa√ß√£o em rela√ß√£o a qualquer situa√ß√£o de tratamento é que n√£o existe qualquer medica√ß√£o milagrosa, como todos nós j√° sabemos”, avaliou.

Exigência de pacientes

Ainda durante o depoimento, o diretor executivo disse que pacientes infectados com a covid-19 passaram a exigir a prescri√ß√£o da cloroquina após declara√ß√Ķes em defesa do medicamento. A declara√ß√£o foi feita após pergunta do senador Renan Calheiros sobre o impacto “dessa promo√ß√£o feita pelo presidente da República na decis√£o da Prevent de patrocinar o uso da hidroxicloroquina”.

“Quem prescreve qualquer medica√ß√£o é o próprio médico e, naquele momento, como todos recordam, houve, até devido a pronunciamentos n√£o só da Presidência da República, mas de outras pessoas influentes também, uma série de pacientes exigindo a prescri√ß√£o da medica√ß√£o. E isso, quando veio diretamente ao encontro dos médicos que estavam na linha de frente tentando salvar a vida dos pacientes, tornou-se uma situa√ß√£o. Como n√£o havia respostas ainda, necess√°rias para que, após feita a prescri√ß√£o, houvesse medica√ß√£o disponível”, justificou o diretor.

Batista Júnior avaliou ainda que “n√£o h√° problema” e “n√£o h√° crime” no fato de a operadora oferecer a medica√ß√£o “após prescri√ß√£o do médico”.

Atestado de óbito

O relator da CPI lembrou no depoimento o caso de Regina Hang, m√£e do empres√°rio Luciano Hang, dono da Havan. Ela morreu em fevereiro, aos 82 anos, no hospital Sancta Maggiore, da Prevent Senior, em S√£o Paulo.

Renan Calheiros exibiu um vídeo em que Hang diz que a m√£e poderia ter sobrevivido se tivesse feito o "tratamento precoce" com hidroxicloroquina. Renan qualificou o comportamento do empres√°rio como "macabro" e "repugnante". “H√° uma farsa que ser√° desmascarada aqui. Vamos provar que ele pediu: 'escondam que minha m√£e foi tratada com cloroquina, para n√£o desmerecer a efic√°cia'. Ele a levou para ser tratada no hospital com cloroquina, e a Prevent Senior ocultou isso”, afirmou o senador.

Outro caso trazido pelo relator, sobre pacientes com covid-19 da Prevent Senior, foi o do médico pediatra Anthony Wong, que morreu em janeiro, aos 73 anos, em S√£o Paulo. Renan apresentou √°udio de uma conversa telefônica com trocas de amea√ßas entre Batista Júnior e um ex-médico da Prevent Senior que denunciou que a empresa teria escondido que a morte de Wong tinha como causa o novo coronavírus.

O depoente confirmou que a doutora Nise Yamagushi era médica assistente e acompanhava Wong, um defensor do “kit covid”. O gestor da Prevent Senior disse que a autonomia médica precisa ser preservada e que n√£o comentaria nenhum caso de pacientes por n√£o ter autoriza√ß√£o das famílias para isso.

Kits anticovid

Em outro vídeo exibido na comiss√£o de inquérito, um suposto representante da Prevent Senior afirma que, após assinatura do contrato com a empresa, seria enviado ao cliente um kit anticovid. Nas imagens o representante da empresa afirma que a Prevent Senior quer evitar que o cliente adoe√ßa, porque isso gera custos. Assim, seria enviado aos clientes o kit com ivermectina, cloroquina e outros medicamentos, “para evitar” o adoecimento. “Eram enviadas as medica√ß√Ķes prescritas pelos médicos aos pacientes, nunca houve kit anticovid”, disse Pedro Batista Júnior.

Padronização

Batista também recha√ßou a afirma√ß√£o de que a Prevent Senior atuava com prescri√ß√Ķes padronizadas para casos de covid-19. “Negativo. [Os remédios] dependeram do paciente e da sua indica√ß√£o terapêutica.” “Variavam as prescri√ß√Ķes, como eu disse para o senhor. Senador, como ficou muito claro para todos, havia prescri√ß√£o das medica√ß√Ķes”, disse. Segundo ele, existia um setor para avaliar “criteriosamente” cada um dos pacientes. “Existiam dois médicos respons√°veis e um deles era o doutor Rafael Souza, que, sim, prescrevia as medica√ß√Ķes após avalia√ß√£o de todos os prontu√°rios”, explicou o depoente.

O diretor da Prevent Senior esclareceu ainda que o médico Rafael Souza era respons√°vel pela √°rea da telemedicina e que reavaliava os prontu√°rios de todos pacientes, por isso, assinou grande parte das prescri√ß√Ķes.

Pesquisas

Questionado se os laboratórios Vitamedic e Aspen patrocinaram estudos realizados pela Prevent Senior com ivermectina e hidroxocloriquina, o executivo disse “ n√£o ter essa informa√ß√£o”. Sobre a participa√ß√£o da Prevent Senior no “aumento vertiginoso de faturamento” dos dois laboratórios durante a pandemia, o depoente disse que n√£o tem a resposta uma vez que n√£o avaliou o balan√ßo das duas empresas.

Renan Calheiros lembrou que a Prevent Senior comprou 32 mil comprimidos de ivermectina da Vitamedic em 2020 e quase 28 mil entre janeiro e setembro de 2021. No caso da hidroxocloriquina, a empresa adquiriu 600 mil c√°psulas diretamente da Aspen durante a pandemia.

CID

Outro ponto abordado pelos senadores foi a orienta√ß√£o veiculada na Prevent Senior para que todos os pacientes com suspeita ou confirma√ß√£o de covid-19 recebessem, nos prontu√°rios, a CID B34.2, “para que estes possam ser adequadamente contabilizados independentemente do status de exame ou unidade”.

Segundo a CPI, a diretriz da Prevent era que após 14 dias do início dos sintomas (pacientes de enfermaria/apartamento) ou 21 dias (pacientes com passagem em UTI/leito híbrido), a CID — classifica√ß√£o internacional de doen√ßa — deveria ser modificada para qualquer outro, de forma a identificar os pacientes que j√° n√£o tinham mais necessidade de isolamento. Pedro Júnior argumentou que o CID poderia ser modificado após este prazo j√° que os pacientes “n√£o representavam mais riscos à popula√ß√£o do hospital”

“O senhor [Batista Júnior] n√£o tem condi√ß√Ķes de ser médico, modificar o código de uma doen√ßa é crime”, criticou o senador Otto Alencar (PSD-BA).

Simone Tebet

Logo no início da reuni√£o de hoje , o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), manifestou solidariedade a Simone Tebet (MDB-MS) pelo episódio de ontem em que ela foi chamada de “descontrolada" pelo ministro da Controladoria-Geral da Uni√£o (CGU), Wagner Ros√°rio, que depôs à comiss√£o. “A senadora Simone nunca faltou com o respeito com nenhuma pessoa que veio aqui ser ouvida. Pelo contr√°rio, ela é firme e traz fatos para mostrar quando est√° fazendo um questionamento” ressaltou Aziz, apoiado por diversos senadores.

“Como mulher, cidad√£ e m√£e, pra mim isso é p√°gina virada. Como líder da bancada feminina, é preciso que esse episódio venha a público pelo menos no car√°ter educativo”, observou Simone.

O senador governista Luis Carlos Heinze (PP-RS) também prestou apoio a Simone Tebet, mas destacou que o ministro Wagner Ros√°rio, desde o princípio de seu depoimento, foi por v√°rias vezes atacado. Segundo Heize, o relator chamou Wagner de mentiroso e outros o nomearam de “moleque” e “vagabundo”.

Ontem mesmo, Wagner Ros√°rio pediu desculpas à senadora Simone Tebet. “Senadora Simone Tebet. Apesar de tê-lo feito pessoalmente, reitero meus pedidos de desculpas caso minhas palavras tenham lhe ofendido. Às vezes, no calor do embate, somos agressivos inconscientemente. Estendo minhas desculpas a todas mulheres que tenham se sentido ofendidas”, disse o ministro por meio do Twitter.

Comunicar erro
Prime News

© 2021 Prime News - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Prime News
CORES DEMO
PERSONALIZADA

Acesse a administra√ß√£o do portal e veja todas as possibilidades e op√ß√Ķes de personaliza√ß√£o de cores, blocos, widgets e v√°rios outras possibilidades. Clique aqui para ir ao painel.

OUTROS TEMAS